Icon close white

O problema

O projeto

Abrindo Prisões é uma iniciativa que busca introduzir um enfoque de transparência sobre os sistemas penitenciários da América Latina. Por meio do desenvolvimento de referenciais de transparência que auxiliam no levantamento de informações sobre as condições de vida e sobre o tratamento dispensado aos reclusos e às reclusas, o projeto tem como objetivo  a geração e a difusão de dados relevantes para a intervenção efetiva no desenho de melhores políticas de segurança pública assim como para o respeito aos direitos humanos das pessoas privadas de liberdade.

O problema


A violação de direitos humanos nas prisões
No interior das prisões da América Latina são reproduzidas múltiplas formas de abuso, de violência e de violação dos direitos mais básicos do ser humano, desde falta de infraestrutura básica e condições degradantes de higiene e de limpeza, até práticas de violência física, sexual e de tortura psicológica, entre outros.

O pacidade


A opacidade característica do sistema prisional gera um ambiente propício para práticas discricionárias por parte dos agentes penitenciários, como também para abusos, para maus tratos e para violações de direitos. Diante da ausência de informação sobre a gestão institucional e sobre as condições gerais de vida nas prisões da região, torna-se necessário promover a transparência e prestação de contas dos sistemas penitenciários.
Por que abordar este problema?


A realidade do interior das prisões é inseparável da realiadade do ambiente exterior: o crime e, na sua máxima expressão, os homicídios. A América Latina é considerada a região mais violenta do planeta, apresentando as mais altas taxas de homicídio. As respostas do Estado se concentraram em uma visão punitiva - ou de castigo - em detrimento à uma visão reparadora, voltada para a reintegração de pessoas privadas de liberdade à sociedade.

A reinserção social é a finalidade das penas privativas de liberdade como parte de uma política de segurança que combata a reincidência. É essencial examinar e dar luz ao tratamento recebido pela população prisional a fim de gerar as condições para uma possível reintegração, o que minimamente requer que os direitos humanos sejam garantidos durante o processo de internação.
Repensar o sistema penal e garantir o acesso à informação e a transparência dos sistemas penitenciários é, em última instância, essencial para reduzir a violência e o crime na região e para desenvolver uma verdadeira política de reintegração
 

Diseño y Desarrollo Cafeína Digital Studio